Nossos Exames

Periodicamente seu médico solicita alguns exames para que possa fazer uma análise mais completa de seu quadro de saúde. Nesta lista estão alguns dos principais exames médicos com informações para ajudá-lo a entender melhor esses procedimentos de rotina.

Os exames estão classificados em ordem alfabética (navegue através das letras iniciais abaixo):

Exames Laboratoriais para as Grávidas  

Letra B

Bilirrubina na urina (código AMB: 4.03.11.00-7)

Material a ser analisado: urina.

Tempo necessário para obter o material: 2 a 3 minutos.

Finalidade: determinar a causa da icterícia (cor amarela da pele e das mucosas).

Preparação prévia: não é necessária.

Resultados:

Valores normais: não deve existir bilirrubina na urina.

Valores anormais: sua presença indica icterícia.

Tempo necessário para obter os resultados: alguns minutos de trabalho no laboratório.

Resultados obtidos: por espectrofotometria.

Confiabilidade dos resultados: boa.

Medicamentos que podem alterar os resultados: acetofenazida, clorpromazina, nitratos, derivados da fenotiazida, vitamina C.

Outros fatores que podem alterar os resultados: exposição da mostra de urina a luz solar ou a temperatura ambiente.

Fontes:

- Manual de exames: Instituto de Patologia clinica Hermes Pardini 2003/2004
- A clínica e o laboratório - Alfonso Balcells Gorina, Medsi Editora 1996
- Henry: Clinical Diagnosis and Management by Laboratory Methods, 20th ed., 2001.

Bilirrubina no sangue (código AMB: Bilirrubinas (direta,indireta e total) 4.03.01.39-7 / Provas de função hepática (bilirrubinas,eletroforese de proteínas. FA, TGO, TGP e Gama-PGT) 4.03.12.15-1)

Material a ser analisado: sangue extraído da veia do braço, por punção.

Tempo necessário para obter o material: 5 a 10 minutos.

Finalidade: Avaliar a função hepática e a condição dos glóbulos vermelhos. É de grande valor nos recém nascidos porque alerta sobre a elevação da bilirrubina no sangue, acumulo que pode provocar graves danos no cérebro, já que atravessa a barreira hematoencefálica. É útil no diagnóstico e na evolução das icterícias, das anemias e da obstrução biliar. Determinação da indicação de fototerapia nos recém nascidos.

Tempo necessário para obter os resultados: alguns minutos de trabalho no laboratório. A determinação se efetua por espectrofotometria.

Preparação do paciente: jejum de 12 horas.

Resultados:

Valores normais:
Bilirrubina total em adultos: níveis de 1.1 mg/ dl ou menores, são aceitáveis.
Bilirrubina direta em adultos: resultados menores de 0.5 mg/dl.
Bilirrubina total em recém nascidos: 1-2 mg/dl

Valores aumentados: deficiência congênita de enzimas; doença de Gilbert; lesão hepática; anemia hemolítica severa; obstrução biliar; recém nascido com níveis de 20 mg/dl ou mais, indica necessidade de exangüíneo transfusão.

Confiabilidade dos resultados: boa.

Drogas podem alterar os resultados:

Antimaláricos
Acido ascórbico
Dextran
Epinefrina
Teofilina
Fenazopiridina
Fenozina
Histidina
Isoproterenol
Levodopa
Metildopa
Novobiocina
Primaquina
Estreptomicina
Sulfonamidas
Tirosina

Fontes:

- Manual de exames: Instituto de Patologia clinica Hermes Pardini 2003/2004
- A clínica e o laboratório - Alfonso Balcells Gorina, Medsi Editora 1996
- Henry: Clinical Diagnosis and Management by Laboratory Methods, 20th ed., 2001.

Biópsia de pulmão com agulha (código AMB: Biópsia

Outras denominações: Biópsia por aspiração com agulha fina, Biópsia por aspiração transtorácica com agulha, aspiração percutânea com agulha.

Material a ser analisado: amostra de tecido, células ou líquidos, obtidos por aspiração, após punção.

Objetivo do exame: Obter uma amostra de tecido (biópsia), para efetuar diagnóstico, no caso de massas pulmonares localizadas, como por exemplo o câncer de pulmão ou infecções.

Preparação prévia do paciente: Jejum de sólidos e líquidos, durante seis a doze horas, antes do procedimento. Será realizada anestesia local, no lugar onde se efetuará a punção.

Procedimento do exame: Inicialmente o paciente é colocado em decúbito lateral ou ventral, de acordo com a localização do tecido a ser biopsiado. Em seguida se realiza anestesia local da pele, derme e músculos da parede torácica e uma vez inserida a agulha na região, se obtém uma amostra, por aspiração com uma seringa.

Para direcionar o procedimento, se utiliza um aparelho de tomografia, ou uma tela de radioscopia, para guiar a agulha até o lugar desejado.

A amostra obtida é enviada ao laboratório de patologia, para um exame microscópico, e também se realiza um cultivo bacteriológico, para identificar microorganismos.

Depois do exame é efetuada uma radiografia de tórax, para descartar o aparecimento ou não de um pneumotórax.

O paciente permanece em repouso durante algumas horas, com controle periódico de temperatura, freqüência respiratória e pressão arterial. Após o procedimento, se recomenda um repouso relativo, por um período de 24 horas.

Fatores que podem alterar os resultados: Erro na localização da ponta da agulha dentro da lesão.

Interpretação: O exame histológico das amostras obtidas pela Biópsia pode ajudar a detectar uma infecção, ou diagnosticar câncer de pulmão e determinar seu tipo histológico ou diagnosticar o tipo de inflamação ou infecção.

Fontes:

- Manual de exames: Instituto de Patologia clinica Hermes Pardini 2003/2004
- A clínica e o laboratório - Alfonso Balcells Gorina, Medsi Editora 1996
- Henry: Clinical Diagnosis and Management by Laboratory Methods, 20th ed., 2001.

Biópsia por aspiração de um nódulo no pescoço (Código AMB: 3.02.12.12-0)

Material a ser estudado: Tecido obtido por punção de uma massa tumoral no pescoço.

Objetivo do exame: Determinar se uma massa no pescoço é maligna ou benigna.

Confiabilidade do exame: muito boa.

Tempo gasto para realizar o procedimento: 1 hora.

Preparação do paciente: Antes do dia do exame o paciente será submetido a uma rotina pré-operatória mínima, assim como a exames por imagens, para determinar a situação topográfica exata da massa.

Geralmente é realizado com anestesia local. Em alguns casos, pode ser necessário um sedante ou, em casos raros, anestesia geral.

Tempo necessário para obter resultados: 3 a 5 dias.

Técnica usada para obter resultados: uma amostra do tecido é obtida para ser analisada no laboratório de patologia.

Método utilizado: Através de uma agulha, guiada por tomografia computadorizada ou por ecografia, e com o fim de encontrar a massa a ser estudada. A ponta da agulha é colocada dentro da massa e mediante aspiração, se obtém uma pequena quantidade de tecido, que será submetido a uma análise anátomo patológica.

Resultado: Descrição das características histológicas da amostra de tecido, que irá orientar para o diagnóstico e tratamento de cada caso específico.

Fatores que podem alterar os resultados: Amostra inadequada. Movimentos do paciente durante o exame.

Fontes:

- Manual de exames: Instituto de Patologia clinica Hermes Pardini 2003/2004
- A clínica e o laboratório - Alfonso Balcells Gorina, Medsi Editora 1996
- Henry: Clinical Diagnosis and Management by Laboratory Methods, 20th ed., 2001.

Biópsia renal, Biópsia renal percutânea (Código AMB: Biópsia renal cirúrgica unilateral 3.11.01.07-0)

Material a ser estudado: tecido renal obtido por punção ou aspiração de um rim.

Objetivo do exame: O exame se utiliza algumas vezes, para avaliar o estado de um rim transplantado. Também se utiliza para avaliar uma função renal diminuída sem causa aparente, quando há sangue persistente na urina ou quando existe excesso de proteínas na urina.

Confiabilidade do exame: Altamente confiável.

Tempo gasto para obter o material do paciente: Aproximadamente 1 a 2 horas, dependendo da facilidade ou não de localizar a massa renal, através dos métodos de diagnóstico por imagem.

Preparação do paciente: Geralmente são realizados hemogramas e coagulogramas prévios. O paciente será orientado a suspender, nos dez dias que antecedem o procedimento, o uso de corticoesteroides, AINE, e aspirina (principalmente devido ao risco de coagulação intra e/ou extravascular). O paciente deverá ser internado 1 dia antes do procedimento, por precaução.

Tempo necessário para obter resultados: entre 2 a 7 dias depois de realizada a Biópsia.

Técnica usada: O procedimento será realizado com o paciente em decúbito lateral ou ventral e com controle radiográfico, tomográfico ou ecográfico, para localizar o rim que deverá ser examinado. Após anestesia local da pele, é introduzida uma agulha comprida, e se efetua a Biópsia por aspiração, obtendo se assim um cilindro do diâmetro da agulha, que é cuidadosamente colocado em tubos especiais, para ser submetido posteriormente ao exame histológico no laboratório de patologia.

Método utilizado para obter resultados: Cortes histológicos com colorações apropriadas, permitem, através de exame microscópico, determinar a existência ou não de lesão glomerular ou tubular, do tecido renal extraído.

Valores normais: O tecido do rim mostra sua estrutura normal.

Resultados anormais: O exame pode mostrar uma lesão causada pela infecção. Também pode diagnosticar uma patologia que causa uma inflamação dentro do tecido conectivo, nas artérias glomerulares, na cápsula de Bowman, e em todos os outros componentes renais.

Precauções após a punção: O paciente deverá ficar em repouso por um período de no mínimo 12 horas, a fim de evitar e controlar algum sangramento, que possa aparecer no rim que foi puncionado. Durante esse tempo, o paciente é submetido a controles periódicos dos sinais vitais, temperatura, pressão arterial e freqüência cardíaca. O paciente deve evitar efetuar exercícios bruscos ou esforços, durante alguns dias após a punção.

Fontes:

- Manual de exames: Instituto de Patologia clinica Hermes Pardini 2003/2004
- A clínica e o laboratório - Alfonso Balcells Gorina, Medsi Editora 1996
- Henry: Clinical Diagnosis and Management by Laboratory Methods, 20th ed., 2001.

BNP – peptídeo natriurético cerebral (código da AMB 4.03.02.77-6)

O que é o exame: coleta de sangue para a dosagem da concentração de peptídeo natriurético cerebral (BNP: brain natriuretic peptide), um marcador de função miocárdica.

Para que serve: a dosagem de BNP auxilia no diagnóstico, monitorização do tratamento e definição do tratamento de insuficiência cardíaca congestiva, sendo um marcador mais sensível e específico de alterações cardíacas que outros peptídeos natriuréticos (como o peptídeo natriurético atrial – ANP). O BNP é secretado em resposta a estresse hemodinâmico, particularmente aumento da pressão intracardíaca e estiramento das fibras miocárdicas. Em paciente com dispnéia (dificuldade respiratória), a elevação do BNP pode apontar a insuficiência cardíaca como fator causal. O BNP aumenta tanto na insuficiência cardíaca por disfunção sistólica, quanto na insuficiência cardíaca por disfunção diastólica, não havendo, entretanto, como diferenciar os dois tipos com base no valor de BNP.

- Alguns estudos iniciais demonstram que o BNP pode se tornar um marcador promissor para ajuste da terapia e acompanhamento da resposta terapêutica em portadores de insuficiência cardíaca, internados ou em atendimento ambulatorial.

Valor de referência: < 100 pg/mL

Instruções para a realização do exame: não é necessário jejum.

Fonte:

- Manual de Exames e Serviços 2006/2007 – Instituto Hermes Pardini.
- Henry: Clinical Diagnosis and Management by Laboratory Methods, 20th ed., 2001.
- Martins, Herlon Saraiva. Emergências clínicas: abordagem prática. 2.ed. ampl., rev. Barueri, SP: Manole, 2006.