Nossos Exames

Periodicamente seu médico solicita alguns exames para que possa fazer uma análise mais completa de seu quadro de saúde. Nesta lista estão alguns dos principais exames médicos com informações para ajudá-lo a entender melhor esses procedimentos de rotina.

Os exames estão classificados em ordem alfabética (navegue através das letras iniciais abaixo):

Exames Laboratoriais para as Grávidas  

Letra G

Gama-glutamil transferase – GGT (código da AMB 4.03.01.99-0)

O que é o exame: coleta de sangue venoso para dosagem da concentração de gama-glutamil transferase (GGT).

Para que serve: auxilia no diagnóstico de colestase hepatobiliar e consumo de álcool. Pode se encontrar em valores elevados no câncer de fígado. A GGT aumentada permite detectar o envolvimento hepático nas infecções, como citomegalovirose, mononucleose infecciosa, e também nas pancreatites e colecistites agudas.

Valor de referência:
* Homem: 10 a 50 U/L
* Mulher: 7 a 32 U/L

Valores aumentados: ocorrem em hepatites, cirrose hepática, tumores hepáticos e uso de drogas hepatotóxicas. Algumas drogas podem elevar os níveis de GGT incluem fenitoína, fenobarbital, carbamazepina, ácido valpróico (anticonvulsivantes) e anticoncepcionais
Valores diminuídos: algumas drogas podem reduzir os níveis de GGT, como azatioprina, clofibrato, estrógenos e metronidazol.

Instruções para a realização do exame: informar medicamentos em uso.

Fonte:

- Manual de Exames e Serviços 2006/2007 – Instituto Hermes Pardini
- Medline Plus – US National Library of Medicine and National Institutes of Health.
- A clínica e o laboratório - Alfonso Balcells Gorina, Medsi Editora 1996
- Henry: Clinical Diagnosis and Management by Laboratory Methods, 20th ed., 2001.

Gastrina no sangue (código AMB: 4.07.12.29-0)

Material a ser analisado: sangue, com 12 horas de jejum prévio.

Tempo gasto para a obtenção do material: de 5 a 10 minutos.

Finalidade: Determinar as causas das patologias gástricas e confirmar a suspeita de diagnóstico de gastrinoma. Determinar a causa de doença ulcerosa do estômago ou duodeno. Detectar anemia perniciosa.

Resultados:

Valores normais: menos de 300 picogramos / ml.
Valores aumentados: ácido gástrico baixo. Anemia perniciosa. Mais de 1000 picogramos / ml: Síndrome de Zollinger Ellison.

Tempo necessário para obter os resultados: alguns minutos

Técnica utilizada: radioimunoensaio

Confiabilidade do exame: boa.

Medicamentos que podem alterar os resultados:

Acetilcolina
Aminoácidos (glicina)
Anticolinérgicos (atropina)
Bicarbonato de cálcio
Cloreto de cálcio
Acido clorídrico
Secretina
Álcool
Hipoglicemia induzida por insulina.

Fontes:

- Manual de exames: Instituto de Patologia clinica Hermes Pardini 2003/2004
- A clínica e o laboratório - Alfonso Balcells Gorina, Medsi Editora 1996
- Henry: Clinical Diagnosis and Management by Laboratory Methods, 20th ed., 2001.

Glicemia pós prandial (código AMB: 4.03.02.03-2)

Material a ser analisado: sangue obtido por punção da veia do braço ou por punção do dedo, do lóbulo da orelha ou do calcanhar.

Finalidade: serve para analisar o metabolismo dos hidratos de carbono e também é utilizado para diagnosticar o diabetes mellitus, ou controlar seu tratamento.

Preparação prévia: É realizada a colheita do sangue, para a dosagem da glicose, 2 horas depois da alimentação.

Resultados: Em uma pessoa sem diabetes, os valores de glicose pós prandial são inferiores a 145 mg/dl, pelo método de oxidase/hesoquinase. Os níveis são levemente mais elevados nas pessoas acima dos 50 anos. Os níveis elevados podem indicar:

Diabetes mellitus
Pancreatite
Síndrome de Cushing
Acromegalia
Feocromocitoma

Níveis muito baixos podem indicar:

Hiperinsulinismo.
Tumor pancreático.
Hipoglicemia funcional.
Mixedema.
Má absorção.

Drogas que podem alterar os resultados:

Acetaminofem
Anfetaminas
Arginina
Benzodiazepínicos
Bloqueadores beta-adrenérgicos
Clortalidona
Clofibrato
Corticoesteróides
Dextrotirozina
Diazoxido
Epinefrina
Acido etacrínico
Furozemida
Glicose endovenosa
Insulina
Lítio
Inibidores da MAO
Acido nicotínico (doses altas)
Anticoncepcionais orais (combinação de estrógeno e progesterona)
Hipoglicemiantes orais
Fenolftaleina
Fenotiazina
Fenitoína
Diuréticos tiazídicos
Triantireno

Outros fatores que podem alterar os resultados:

Etanol
Doença recente
Infecção
Gravidez
Exercício
Stress
Fracasso de restrições dietéticas

Glicohemoglobina (código da AMB 4.03.02.07-5)

O que é o exame: coleta de sangue venoso para dosagem da concentração glicohemoglobina.

Para que serve: instrumento de grande utilidade para monitoração do paciente portador de diabetes mellitus, refletindo os valores glicêmicos nas últimas 6 a 8 semanas. Não serve para o diagnóstico de diabetes. Valores elevados de glicohemoglobina em várias medidas indicam a possibilidade de ocorrência de complicações crônicas relacionadas ao diabetes, como neuropatias, retinopatia, nefropatia e aterosclerose. A American Diabetes Association recomenda a dosagem de glicohemoglobina:

* 4 vezes por ano para portadores de diabetes mellitus tipo 1 ou 2 em uso de insulina;
* 2 vezes por ano para diabéticos tipo 2 sem uso de insulina.

- Em caso de controle inadequado do diabetes, a freqüência de realização do exame pode ser maior.

Valor de referência: 4 a 6%

Obs.: valores menores que 7% indicam bom controle do diabetes.

Resultados:

Valores aumentados: pacientes com deficiência de ferro podem apresentar níveis elevados de glicohemoglobina.
Valores diminuídos: indivíduos portadores de anemias hemolíticas podem apresentar níveis reduzidos de glicohemoglobina, reduzindo sua utilidade na monitorização do diabetes.

Fonte: - Manual de Exames e Serviços 2006/2007 – Instituto Hermes Pardini

- Medline Plus – US National Library of Medicine and National Institutes of Health.
- A clínica e o laboratório - Alfonso Balcells Gorina, Medsi Editora 1996.
- Henry: Clinical Diagnosis and Management by Laboratory Methods, 20th ed., 2001.

Gordura nas fezes (código AMB: 4.03.03.05-5)

Material a ser analisado: Fezes colhidas durante 72 horas.

Tempo gasto para obter o material: 72 horas.

Finalidade: medir a quantidade de gordura nas fezes. Confirma o excesso ou não de gorduras nas fezes.

Preparação prévia: evitar a ingestão de álcool durante 24 horas antes de começar o exame. Ingerir uma dieta rica em gorduras (100 gramas por dia, durante os três dias de duração do exame).

Resultados:

Valores normais:gorduras totais devem estar presentes, em quantidade menor, que 20 % do total das fezes, ou menor que 7 gramas, a cada 24 horas.
Valores anormais: aumentados, podem significar: insuficiência pancreática, fibrose cística, pancreatite crônica, obstrução do colédoco por litiase ou tumores, má função hepática, obstrução dos canais de excreção pancreática, ressecção extensa de intestino delgado, doenças da mucosa intestinal, ileíte regional, doença celíaca, sprue tropical, esclerodermia, fístulas, tuberculose intestinal, doença de Wipple, linfoma intestinal, esteatorréia.

Tempo necessário para obter os resultados: alguns minutos. Resultados são obtidos: por análise química e quantitativa da quantidade de gorduras.

Confiabilidade do exame: boa.

Medicamentos que podem alterar os resultados:

Azatioprina
Colchicina
Óleo Mineral
Neomicina
Colestiramina
Cloreto De Potássio.

Fontes:

- Manual de exames: Instituto de Patologia clinica Hermes Pardini 2003/2004
- A clínica e o laboratório - Alfonso Balcells Gorina, Medsi Editora 1996
- Henry: Clinical Diagnosis and Management by Laboratory Methods, 20th ed., 2001.