Guia de Doenças e Tratamentos

Quando se conhece melhor as diferentes doenças e seus tratamentos torna-se mais fácil o diálogo com o médico, entendendo suas orientações e conseqüentemente abreviando o tempo do tratamento.

As informações contidas neste site são destinadas ao público brasileiro e têm caráter informativo, não devendo ser usadas para incentivar a automedicação ou substituir as orientações médicas. O médico deve sempre ser consultado a fim de prescrever o tratamento adequado.

 

Letra G

GIST (Tumor Estromal Gastrintestinal)

O que é GIST?

GIST (Tumor Estromal Gastrintestinal) é um tumor raro do trato gastrintestinal que tem sua origem a partir das células intersticiais de Cajal, que são as células marca-passo do intestino, responsáveis pela sua movimentação. Cerca de 70% dos casos de GIST aparecem no estômago, 20% a 40% se apresentam no intestino delgado, e menos de 10% acometem o esôfago, colón e reto. A maior incidência ocorre entre a quinta e a sexta década de vida.

Quais são os sintomas da doença?

Geralmente, os pacientes com este diagnóstico são assintomáticos, porém, em alguns casos, podem apresentar sangramento, dor abdominal, massa palpável ou até obstrução intestinal.

Como diagnosticá-la?

Durante quatro décadas, muitos debates foram realizados sobre sua nomenclatura, origem celular, diagnóstico e prognóstico. Devido a sua similaridade com o tumor do músculo liso, muitos foram confundidos com tumores deste tecido, porém, com o advento da microscopia eletrônica e principalmente, da imunohistoquímica, grandes mudanças ocorreram. No GIST, há uma mutação específica no KIT (enzima denominada tirosina-quinase responsável pelo envio de sinais de sobrevivência e de crescimento dentro da célula). Se estiver ativa, a célula permanece viva, cresce e se prolifera. A enzima KIT, mutada hiperativa sem controle, desperta o crescimento de células do tumor GIST.

Como é o tratamento?

A ressecção cirúrgica da neoplasia é o tratamento de escolha. Já o tratamento radioterápico e quimioterápico não apresentam bons resultados. Porém, muitos tumores não podem ser removidos cirurgicamente porque são muito grandes ou já se disseminaram para outras partes do corpo (metastáticos). Nos casos de GIST irressecáveis e/ ou metastáticos, o tratamento é feito com uma droga que age como inibidora do crescimento deste tumor, bloqueando a ação da enzima KIT.