Guia de Doenças e Tratamentos

Quando se conhece melhor as diferentes doenças e seus tratamentos torna-se mais fácil o diálogo com o médico, entendendo suas orientações e conseqüentemente abreviando o tempo do tratamento.

As informações contidas neste site são destinadas ao público brasileiro e têm caráter informativo, não devendo ser usadas para incentivar a automedicação ou substituir as orientações médicas. O médico deve sempre ser consultado a fim de prescrever o tratamento adequado.

 

Letra T

Talassemia

O que é a talassemia?

A talassemia compreende um grupo de doenças genéticas do sangue que afetam a capacidade do organismo de produzir hemoglobina, o componente dos glóbulos vermelhos responsável pelo transporte de oxigênio. De acordo com sua gravidade e tipo, a talassemia pode causar problemas sérios de saúde, como anemia, aumento no tamanho do fígado e baço, deformações ósseas e fadiga.

Os genes que herdamos de nossos pais controlam a produção de hemoglobina, proteína que se liga ao oxigênio e o transporta aos pulmões e às outras células. Uma mutação ou irregularidade na produção da hemoglobina pode acarretar uma série de doenças, dentre eles a anemia falciforme e talassemia.

Quais são os tipos da doença?

A talassemia é classificada de acordo com a maneira que afeta a hemoglobina de uma pessoa. As talassemias alfa e beta são doenças diferentes classificadas por determinadas mutações genéticas, ou seja, os genes defeituosos e a gravidade com que interferem no organismo.

Algumas pessoas carregam o gene da talassemia, mas não apresentam problemas sérios de saúde associados à doença. O traço talassêmico não progride para uma talassemia, entretanto, o gene pode ser passado para os descendentes, pois algumas dessas doenças são hereditárias.

Quais são os sintomas da talassemia?

De acordo com a gravidade da doença, os sintomas variam de não aparentes até uma anemia fatal. Dentre outros sintomas estão: fadiga, falta de ar, aumento no fígado ou baço e deformidades ósseas.

Como diagnosticá-la?

Alguns tipos da doença podem ser diagnosticados por meio de exames de sangue específicos. Em casos especiais, o diagnóstico pode ser feito até mesmo com 10 a 11 semanas de gestação, utilizando procedimentos como a amniocentese ou biopsia de vilosidade coriônica. O exame para detectar o traço talassêmico em adultos também ajuda a determinar se há probabilidade de os descendentes herdarem o traço ou a doença.

Como é o tratamento?

A talassemia é controlada por meio de transfusões de sangue e terapias específicas de acordo com a complicação. Transfusões de sangue freqüentes demonstram melhorar e prolongar a qualidade e o tempo de vida das pessoas com talassemia e, portanto, são o tratamento mais comum prescrito a pessoas com formas graves da doença.

Atualmente, a única cura conhecida para a talassemia é o transplante de medula óssea, para o qual somente cerca de 20% a 25% dos pacientes encontram doadores compatíveis.

Em janeiro de 2006, a ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) aprovou no Brasil o primeiro medicamento oral de administração uma vez ao dia capaz de eliminar o acúmulo de ferro do organismo em pacientes que recebem transfusões sangüíneas constantes, por exemplo os portadores de talassemia, anemia falciforme e síndromes mielodisplásicas.

TDAH (Transtorno de Déficit de Atenção/ Hiperatividade)

O que é o transtorno de déficit de atenção/ hiperatividade?

Transtorno de Déficit de Atenção / Hiperatividade (TDAH) é o distúrbio neurocomportamental de maior prevalência em crianças em idade escolar. Estima-se que, 5% a 8% da população em idade escolar possam ter TDAH e que aproximadamente 2% dos adultos sofram da doença.

Quais são os principais sintomas do TDAH?

A desatenção, a hiperatividade e a impulsividades são sintomas que promovem o TDAH. Dificuldade em prestar atenção a detalhes, errar por descuido em atividades escolares ou profissionais, parecer não escutar quando lhe dirigem a palavra, ter dificuldade em organizar tarefas e atividades, evitar ou relutar em envolver-se em tarefas que exijam esforço mental constante, e estar constantemente distraído por estímulos alheios à tarefa são ações relacionadas ao sintoma de desatenção.

Agitar as mãos, os pés ou se mexer na cadeira, abandonar a cadeira em sala de aula ou em outras situações nas quais se espera disciplina e espera, dificuldade em brincar ou envolver-se silenciosamente em atividades de lazer, e falar em demasia são sintomas relacionados a hiperatividade.

Responder perguntas de modo precipitado antes mesmo delas terem sido concluídas, apresentar constante dificuldade em esperar sua vez, e freqüentemente interromper ou se meter em assuntos alheios são atitudes relacionadas a impulsividade.

Quais são os tipos de TDAH?

TDAH com predomínio de sintomas de desatenção provoca elevada taxa de prejuízo acadêmico nos indivíduos. TDAH com predomínio de sintomas de hiperatividade/impulsividade provoca altas taxas de rejeição e de impopularidade frente aos colegas. TDAH combinado provoca elevada taxa de prejuízo acadêmico e maior presença de sintomas de conduta, de oposição e desafio.

Principais conseqüências do TDAH:
• Baixo desempenho escolar;
• Dificuldades de relacionamento;
• Baixa auto-estima;
• Interferência no desenvolvimento educacional e social;
• Predisposição a distúrbios psiquiátricos.

Dicas para crianças e adolescentes com TDAH:
• Sente-se com a criança/adolescente a sós e peça sua opinião sobre qual o melhor método para seu aprendizado;
• Desenvolva um método para auto-informação e monitoração. Reserve alguns minutos para conversar com a criança/adolescente, a fim de saber como ela está se saindo em sala de aula. Ouça sua opinião sobre progressos e dificuldades;
• Sinalize ao aluno sobre sua evolução e sucesso. A criança/adolescente já convive com tantos obstáculos que precisa de todo estímulo positivo que puder obter;
• Procure afixar, em lugar visível, as regras de funcionamento em sala de aula. Os alunos se sentem mais seguros sabendo o que é esperado deles;
• Lembre-se que as regras devem ser breves e claras. Use uma linguagem adequada para o nível de desenvolvimento dos alunos. Evite sentenças muito longas;
• Estimule a criança/adolescente a tomar nota dos pontos mais importantes de cada conteúdo e do que está pensando a respeito;
• Escrever a mão é uma tarefa difícil para muitas destas crianças. Considere possibilidades alternativas, como digitação em computador.

Transplantes

O transplante pode salvar e melhorar a qualidade de vida de muitas pessoas. É um procedimento cirúrgico que consiste na transferência de um órgão (coração, pulmão, rim, pâncreas, fígado) ou tecido (medula óssea, ossos, córneas) de um indivíduo para outro, a fim de compensar ou substituir uma função perdida.

O Brasil é o segundo país que mais realiza transplantes de órgãos no mundo, está atrás apenas dos Estados Unidos. A atividade de transplantes de órgãos e tecidos no Brasil iniciou-se no ano de 1964, na cidade do Rio de Janeiro, e no ano de 1965, na cidade de São Paulo, com a realização dos dois primeiros transplantes renais do país. O primeiro transplante cardíaco ocorreu também na cidade de São Paulo, no ano de 1968.

Transplante de Rim

O transplante de rim só está indicado em pessoas que têm prejuízo irreversível e grave das funções renais. Após a indicação do transplante, o paciente é submetido a uma avaliação clínica que inclui vários exames.